Posts com Tag ‘BX8’

Monitoração

 

A monitoração dentro do estúdio merece uma atenção especial.Afinal é através dela que vamos executar e depois ouvir o resultado de todo o trabalho realizado.Quando falamos em monitoração dentro do estúdio o ideal é que tenhamos uma resposta plana, um som puro.Um som que não atenue nenhuma das freqüências.Nem grave demais, nem médio demais e nem agudo demais.Chamamos de resposta “flat”.Sabemos que as freqüências que percebemos são de 20Hz até 20Khz,então vamos procurar um monitor que represente bem todas as freqüências.

 

CONHECENDO NOSSOS MONITORES

 

É muito importante conhecer nossos monitores.Ao comparar um cd bem mixado e masterizado podemos analisar em nossos monitores se eles colorem mais o graves, os médios ou os agudos.Isto falando dos monitores que não são os profissionais e sim dos famosos “quebra-galho”.Os profissionais já são desenvolvidos para nos darem uma resposta mais plana possível.Mas a realidade é pouco diferente então, de qualquer forma, é melhor  seguir este procedimento.

 

Feito isso,ou seja, termos treinados nossos ouvidos,é hora de trabalhar.Desde que você saiba o que está ouvindo tudo bem.O cuidado que se deve tomar é o seguinte:
-Vamos supor que seus monitores colorem muito o grave a tendência é que você diminua essa freqüência.Então,quando seu produto final tocar em outros sistemas é possível que o som saia sem peso,sem aquele punch.Deixe que essa freqüência sem mexer para não prejudicar seu resultado final.

 

Monitores Ativos x Passivos

 

Existem Dois tipos de monitores, ativos e passivos.Cada um com suas qualidades em especial.Cabe a cada um avaliar e escolher qual o melhor para se trabalhar.

 

Monitor Passivo – É o monitor que precisa ser alimentado por um amplificador externo, pois não possui amplificação interna.Neste caso tem a vantagem de se trabalhar com o amplificador externo que desejar.O som vai depender da qualidade do monitor e também do amplificador.A desvantagem é a necessidade de um aparelho externo para seu funcionamento.

 

Monitor Ativo – Os monitores ativos não precisam de sistema de amplificação, possuem seu próprio sistema interno.

A desvantagem, se é que se pode falar que seja uma, seria o preço.Os ativos têm suas vantagens.Geralmente monitores ativos possuem também um limiter interno que regula a entrada de um sinal muito alto, protegendo seus falantes.Além de economizar espaço.

 

Características gerais sobre monitores – Algumas peculiaridades devem ser observadas e, se possível, obedecidas com relação aos monitores e monitoração.Dê preferência por monitores que possuam Blindagem Magnética, isto evita problemas quando colocamos os monitores próximos de monitores de vídeo ou televisão, por exemplo.Os novos monitores de vídeo de LCD dispensam essa preocupação, porém nunca sabemos onde amanhã vamos colocar nossos monitores de áudio.Então prefira, os blindados.

 

Posicionamento – Levando em conta que em um Home-Studio o espaço é reduzido e o posicionamento dos monitores afeta diretamente no som que ouvimos, devemos observar algumas regras.Principalmente na hora de mixar um trabalho.Uma maneira eficaz é imaginar um triângulo entre você e os dois monitores.

 

 

 

 

Onde apoiar os monitores – È possível que, ao apoiarmos os monitores em cima de uma superfície diretamente (como uma de computador, por exemplo), o som sofra algum tipo de alteração.Como esse material é mais denso que o ar e o som se propaga mais rápido através dele o som chegará mais rápido aos nossos ouvidos do que o som direto dos monitores.Podendo Gerar até mesmo um cancelamento de fase.
Uma maneira eficaz é usar algum tipo de material emborrachado como um neoprene, por exemplo.

 

ADICIONANDO UM SUB

 

Quando trabalhamos com músicas com contenham graves muito fortes,ou por forma de proteção do nosso sistema,ou até mesmo para não causar problemas na mixagem com materiais que chegam em nossa mão com graves imprevisíveis.Para isso é importante ter um Subwoofer.

Os graves dão uma sensação de peso,encorpa a música,portanto uma sensação de satisfação e prazer que pode maquiar um pouco o trabalho.Então se utilizamos um sub para qualquer trabalho e ficarmos viciados nele uma coisa é certa ,produzir material com pouco grave.Acaba que o que você ouve não vai para o produto final.

 

Portanto,cuidado na escolha das caixas,na acústica e nos macetes para driblar certas situações e bom trabalho.